Blog

Chegada do verão exige cuidados com o pet

A chegada do verão exige cuidados com os animais de casa, que também sofrem com as temperaturas altas da estação. Se os dias quentes são convidativos a passeios ao ar livre, viagens e brincadeiras na água, o bem-estar do seu bichinho requer atenção redobrada dos donos. Uma das recomendações mais básicas dos veterinários é o horário da ida ao parque, que deve ser sempre em temperaturas mais amenas. O sol forte castiga o cão, que pode sofrer fadiga, desidratação e até queimadura nos coxins, aquelas almofadinhas das patas. Durante o programa, é importante fazer pausas para hidratação e descanso na sombra. 

“Como referência prática, animais precisam receber no mínimo 60 ml de água por quilo de peso corporal por dia. Ou seja, um animal de 5 kg deve ingerir 300 ml de água por dia, limpa e fresca de preferência”, aconselha a veterinária Keila Regina de Godoy, da Premier pet. Para não depender dos bebedouros no local, uma solução prática é levar na bolsa um bebedor que seja acoplado à garrafa pet. 

Cães de focinho curto, como pugs e buldogues, são raças que têm, por natureza, maior dificuldade na transpiração e, portanto, sofrem mais com o calor. Seja cauteloso e fique atento ao ritmo da corrida. Em vez de pedalar e puxar seu cão pela coleira, prefira andar ao lado dele, evitando forçar demais o ritmo da atividade. 

É normal que, em dias quentes, o animal perca o apetite e passe a comer menos. A recomendação, então, é diminuir a quantidade de ração; uma sugestão é escolher um horário do dia mais fresco para a oferta da comida.

Gatos também costumam gostar mais de água corrente. Além da troca constante da água da vasilha para ficar sempre fresquinha, a solução para eles pode ser uma pequena fonte, que cabe em ambiente interno e também serve de incentivo ao consumo. Com hábitos mais caseiros, os gatos já tendem a procurar por aquele cantinho mais fresquinho da casa. Situação bem diferente do cão, principalmente se ele passa o tempo todo no quintal de casa ou outro ambiente externo.

No caso dos gatos, manter bebedouros em diferentes lugares da casa ou pequenas fontes de água corrente ajuda a estimular a ingestão de líquidos, um hábito essencial para sua hidratação e saúde o trato urinário.

Rachaduras na ponta do focinho, vermelhidão e feridinhas nas pontas das orelhas sái sinais de queimaduras solar. Cães e gatos com pelos brancos e pele clara estão mais suscetíveis aos males do sol e precisam de protetor solar específico, que deve ser recomendado por um veterinário.

Compartilhar:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn